Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cronicamente Fabulosa

Tenho fibromialgia, mas também sou fabulosa e esta é a grande aventura que é a minha vida.

Cronicamente Fabulosa

Tenho fibromialgia, mas também sou fabulosa e esta é a grande aventura que é a minha vida.

Adeus.

por AF, em 19.01.20

Hoje é o último post que escrevo neste blog.

Não sinto que faça qualquer sentido continuar a escrever porque não consigo ser regular, não tenho tempo nem cabeça para escrever e também porque acho que ninguém lê o que ponho aqui. Não tem mal, na realidade até nem tem muito interesse contar uma história que é igual a tantas outras.

Sinto-me triste. Não porque o abandono mas porque esperei muito mais da minha vida e continuo a lutar todos os dias por mais mas existe algo em mim, uma força maior, que continua a mandar-me para baixo e a obrigar-me a ser menos produtiva do que aquilo que eu gostava.

Hoje estou a estudar, a tirar um curso para poder trabalhar no futuro e estou a esforçar-me muito para sair-me bem, para não desistir e chegar a algum lugar. Mas ao fazer isso fico sem vontade ou energia para fazer coisas que eu gostaria tanto como explorar as minhas capacidades artísticas ou algo que as pessoas achem infantil porque o que realmente importa depois dos 18 anos é sermos adultos.

Não gosto de ser adulta, vou já confessar isto. Não gosto da obrigatoriedade de crescer e de ser responsável como a sociedade quer. É que eu nem posso decidir que tipo de vida posso ter, sou só um número como todos os outros que caminham neste mundo.

Também não gosto de acordar todos os dias com imensas ideias para fazer coisas e não realizar nenhuma porque estou demasiado esgotada. Já nem ler como lia consigo. Não consigo fazer nada das coisas que realmente me definiam, hoje em dia sou um zombie que fica mais de oito horas por dia com os olhos espetados num ecrã com o cérebro todo frito.

Mas mais uma vez não me queiram interpretar mal, não peço que entendam ou que mostrem pena porque isto é só um último desabafo. Guardo o meu blog comigo tal como guardo tudo o que sempre fiz e desisti. É uma pena, mas apenas não era para ser.

Não sei o que estou aqui a fazer, não sei qual é o meu propósito, em que é que é suposto eu ser boa. Não sei para quem é que estou destinada porque hoje em dia só consigo estar na minha bolha sem conhecer ninguém por isso é mais do que normal que fique um eremita para sempre.

E não tem mal.

Suponho que tenho que começar a conformar-me com isso.

E é isso, obrigado a quem leu e que a vida vos sorria.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D